Carta de passagem

19 jul

Não é nem o sentimento cru em si. Talvez sejam apenas os sintomas dele, ou quem sabe suas consequências.

O que me incomoda não é gostar, mas sim pensar sempre na mesma pessoa e se sentir vazia por estar longe, a anos-luz do meu humilde alcance.

Incomoda chatear as pessoas ao meu redor falando sempre as mesmas coisas e muitas vezes até ignorando sua importância, já que meu foco está em outra pessoa que nunca fez absolutamente nada por mim.

E o pior é que eu tenho consciência de que é injusto, porém não evito. É algo meio doentio, pois insisto nessa ideia mesmo tendo o coração partido ao saber que sou só mais uma. E que ele também é só mais um.

Triste dar-me conta de que voltei ao estágio inicial e ter tanta dificuldade em reverter esta situação. Positividade ao pensar que não é mais uma derrota, e sim uma simples e recuperável recaída.

E quando eu penso que já aprendi, que essa fase já passou e que sei como não cair mais no mesmo obstáculo, isso me acontece. Novamente, novamente e novamente.

Só espero que estejam certos ao dizer que o que é melhor ainda está guardado pra mim, porque é esta esperança que me dá forças para continuar sorrindo.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: