Arquivo | outubro, 2012

Garotas do Lookbook: Nancy Zhang

16 out

Lookbook * Facebook * Twitter * Blog

Anúncios

Música: Machu Picchu

15 out

Vocês devem ter percebido que eu ando escutando muito The Strokes e quero explicar o porquê.

The Beatles e Legião Urbana estão no topo das minhas bandas favoritas há um bom tempo, mas ainda assim sentia falta de algum complemento que se encaixasse no terceiro colocado. É óbvio que eu gosto de vários outros músicos, porém com nenhum sentia a conexão necessária.

Eu já conhecia os Strokes e amava a música Last Nite e então, só nas férias de julho deste ano, parei de verdade para ouvir as outras. Foi muito amor, sério, haha! Era a banda de rock perfeita: um som nem tão pesado e nem tão monótono, integrantes inteligentes e muito talentosos, inovação, Converses e letras incríveis. As músicas são muito boas e eu fiquei apaixonada. Assim, decidi que eles eram quem eu sempre procurei pra completar o pódio.

O que eu mais gosto nos Strokes é que eles sempre surpreendem. Várias músicas são bem diferentes e a Machu Picchu, do álbum Angles é um ótimo exemplo.

Bom, essa foi minha história de amor, kkkk (:

Só pra descontrair, um vídeo curtinho em que meus lindos Fabrizio Moretti (que é brasileiro <3) e Julian Casablancas falam português:

XO, @victorialopesp

Descafeinado, por favor

14 out

Não conseguia parar de pensar no convite de Pedro para tomarmos café juntos na manhã seguinte. Passei a tarde inteira provando todas as minhas roupas, até mesmo aquelas meio mofadas da gaveta que não vestia há anos e acabei escolhendo uma camiseta dos Beatles, jeans e meu par de Converses preto. Como sempre. Pensei melhor, encarei a calça rasgada no joelho por alguns minutos e vi que era melhor vestir uma saia. E uma sapatilha. Sei lá, parecia mais atraente.

Já com o figurino definido, fui para frente do espelho. Fiquei lá durante uma hora e meia tentando rir sem parecer um cavalo. Sim, eu ria e ficava com a boca escancarada como a de um cavalo. Não queria parecer um cavalo. Pelo menos não quando saísse com Pedro. O que ele iria pensar sobre mim, afinal? Após várias tentativas, cheguei à conclusão de que era melhor evitar minha risada em qualquer circunstância. Não dava pra rir de outra forma. Eu sempre ri e sempre riria parecendo um equino.

Maquiagem? Nunca ligara pra isso até aquele momento. Iria tomar café com Pedro e queria vê-lo feliz. Fui de fininho ao quarto da minha irmã e peguei seu Ruby Woo. Jamais tinha passado batons escuros, porém aquela situação seria singular.

Dormi mal, tamanha minha preocupação. Fiquei um bom tempo alisando o cabelo, coloquei a sapatilha e passei batom nos lábios. Saí de casa cheia de esperança.

Cheguei ao Café. Pedro já estava lá. Pareceu surpreso quando me viu. Olhou-me dos pés à cabeça.

– Oi, Olívia, você tá… diferente.

Sentei-me e conversamos um pouco, bem menos que o normal. Eu ficava tentando não rir e acredito que ele percebeu.

– Tá tudo bem? – perguntava ele, confuso.

Claro que estava tudo bem. Por que não estaria tudo bem? Quero dizer, tentar não rir era péssimo e ficar checando se o batom estava falhado também, mas sabia que isso seria com bom para nós. Queria muito impressioná-lo.

Era ele quem não estava bem. Nunca o senti tão desconfortável. Chegou um momento em que parou de contar suas piadinhas idiotas. Até parou de rir. Olhou pra mim, sem jeito.

– Acho que já tá na minha hora.

– Mas está cedo! Nós costumamos ficar durante horas conversando. O que aconteceu?

– Eu é que te pergunto: o que aconteceu? O que deu em você? – ele se levantou e elevou a voz.

– Do que você tá falando?

– Você aparece aqui de saia, sapatinho de princesa, batom vermelho, fica com essa cara de bunda e ainda diz que tá tudo bem? Você não tá nada bem! Quer saber, eu devo ter me enganado… Sabe aquela garota que estava sempre de jeans, tênis e um monte de cachos lindos? Eu gostava dela. Onde ela está?

Permaneci estática por três segundos. Tive vontade de arrancar a saia ali mesmo. Mas, ao invés disso, eu ri. Ri parecendo uma égua, mais do que nunca. Ele sorriu.

– Por um instante achei que tinha te perdido.

Depois disso, ele se encarregou de arrancar o meu batom.

Garotas do Lookbook: Chloe Ting

13 out

Lookbook * Twitter * Site * Facebook * Youtube

Livro: George Clooney – Por Favor, Case-se Com Minha Mãe

12 out
  • Autora: Susin Nielsen
  • Editora: Panda Books
  • Tradução: Marina Mariz
  • Número de páginas: 192
  • Comprar na Saraiva.

Sinopse: Os pais de Violet se divorciaram há dois anos e, desde então, sua mãe só se envolve em relacionamentos complicados. Como as escolhas da mãe afetam sua vida e de sua irmã caçula, Violet resolve assumir o controle da situação e decide que o padrasto perfeito seria George Clooney. Em meio às aventuras de encontrar Clooney, Violet tem de lidar com os conflitos familiares – incluindo a nova esposa do pai e suas meias-irmãs –, os problemas com as colegas da escola e ainda definir se vale a pena assumir sua paixão por Jean-Paul, o garoto que estuda em sua sala no sétimo ano. Nesta divertida e emocionante história, Violet vai aprender a lidar com suas frustrações e com os desafios da adolescência.

Vou confessar: o que mais me chamou atenção, a princípio, foi a capa. É linda principalmente por conta do All Star com uma caveira <3 Fiquei feliz, mais tarde, por descobrir que a capa era o elemento menos especial deste livro! É uma leitura simples, divertida e bem elaborada. A Violet é muito engraçada! Eu a amei. É muito boa a sensação de se apegar por um personagem fictício.

Espero que riam tanto quanto eu.

Ah, só pra entrar no clima…

Feliz dia das crianças!

XX, @victorialopesp

Aqui

11 out

Outro luar

Este lugar

O sol, o mar

Quero esperar

Mas vai passar

Ah, vai passar

Sem piscar

Nem hesitar

E imaginar

Este luar

Sem sol, sem mar

Até amar

O que é amar?

O que é gritar?

O que é jogar?

O que é lidar?

Vem duvidar

E me explicar

E me ensinar

Sem hesitar

E nem piscar

E nem falar

Nem desenhar

Nem imaginar

Outro lugar.

Inspiração: T-Shirts

10 out